Violent Femmes anuncia primeiro álbum em 15 anos


Treze anos depois de “Freak Magnet”, último álbum do Violent Femmes que deveria ter saído em 1998 mas só chegou ao mercado em 2000, o grupo se reuniu para tocar no Coachella com a formação original.

Logo depois o baterista Victor DeLorenzo foi substituído por Brian Viglione (Dresden Dolls, Nine Inch Nails), e em abril desse ano o grupo lançou seu primeiro registro dessa nova fase, o EP “Happy New Year”, lançado no Record Store Day de 2015, e agora foi anunciado um álbum completo com lançamento programado para 04 de março.

“We Can Do Anything” trará dez faixas em seu repertório, algumas delas (como "Big Car" e "I Could Be Anything") saídas do baú de demos em fitas cassete e diários do vocalista Gordon Gano. Outras foram feitas em parceria com compositores como Kevin Griffin, do Better Than Ezra, que já trabalhou com Blondie e Graham Colton, entre outros, e Sam Hollander (com músicas do One Direction a Trombone Shorty no currículo), e ainda há um cover da artista folk Cynthia Gayneau (irmã de Gano), "What You Really Mean".

As gravações de “We Can Do Anything” aconteceram em Los Angeles, Nashville e Denver, entre outras cidades, enquanto o Violent Femmes estava em turnê ano passado. A produção foi supervisionada por Jeff Hamilton, um dos integrantes da banda de apoio do Violent Femmes, Horns Of Dilemma, e John Agnello (Dinosaur Jr., Sonic Youth, Kurt Vile) ficou encarregado da mixagem..

A capa do álbum, que ilustra essa nota, foi criada por Kevin Hearn, do Barenaked Ladies, com quem o Violent Femmes saiu em turnê. Barnes também contribui tocando acordeão, guitarra, teclado e fazendo vocais de apoio em algumas das músicas, cuja lista completa você confere abaixo:

01. Memory
02. I Could Be Anything
03. Issues
04. Holy Ghost
05. What You Really Mean
06. Foothills
07. Traveling Solves Everything
08. Big Car
09. Untrue Love
10. I’m Not Done

Comentários

Postagens mais visitadas