Vocalista do Tame Impala diz que novo álbum é "para perder a cabeça"


Donos de músicas tão psicodélicas quanto as imagens que representam a banda, o quarteto australiano Tame Impala se apresenta em São Paulo e no Rio de Janeiro pela primeira vez nos dias 15 e 16 agosto. Mas antes disso, o vocalista e guitarrista Kevin Parker adiantou que o novo álbum da banda, "Lonerism", terá músicas "para perder a cabeça".

Para explicar a ideia do novo álbum, Parker começa justificando a escolha do título. "Eu acho que “Lonerism” é uma palavra que descreve o tipo de música que o álbum tem e a personalidade dessas músicas. Elas falam sobre uma pessoa que está isolada do resto do mundo", comenta. Quanto ao ritmo, ele diz que "são músicas para perder a cabeça, dançar, amar o universo, tudo junto". E sobre o prazo de lançamento, Parker explica que o álbum já está pronto desde março e que agora "está nas mãos da gravadora."

 guitarrista cita como principal diferença entre as composições do primeiro álbum "Innerspeaker" (lançado em 2010) e "Lonerism" (2012) a introspecção. "Eu aprendi a ser mais honesto comigo, esse álbum é sobre alguém que não está conectado com o resto do mundo. O primeiro álbum é sobre diferentes tipos de coisas. São diferentes situações e realidades, mas esse é isolado".

Quanto à cobrança dos fãs que gostaram do primeiro álbum, Parker confessa que a principal dificuldade para ele foi "pensar em tudo". "No primeiro álbum você não pensa muito, você só faz. Você faz sem pensar no que os outros vão pensar, é só por amor", explica. "E quando você faz o segundo álbum as pessoas já te conhecem e podem ter uma opinião formada. E você sabe que essas pessoas podem amar ou odiar. Pensar na opinião das outras pessoas é muito difícil pra mim, muda tudo", completa.

Sobre os shows no país, Parker espera que sejam "incríveis". "Esperamos muito tempo para visitar a América do Sul, principalmente o Brasil. Não temos ideia do que esperar em relação ao que vai acontecer, mas queremos que as pessoas gostem do nosso show".

A única familiaridade que a banda (quase) tem com o país é o gosto pelas produções dos Mutantes. "Eles são mesmo brasileiros? Se sim, acho que são a única que conheço", finaliza entre risos.

Capas de Singles do Tame Impala.

Fonte: UOL.

Comentários

Postagens mais visitadas